Busca por inovações energéticas.

Busca por inovações energéticas.

Com o avanço veloz da tecnologia estamos cada vez mais dependentes da energia elétrica. Porém, a cada dia os cientistas e estudiosos da área se mostram mais preocupados sobre como iremos manter a produção da mesma. Afinal, no Brasil, quase que toda a energia que usamos em nosso cotidiano vem das hidroelétricas e o uso abundante da água, como bem sabemos, está cada vez menos possível e menos viável.

Entendem-se como alternativas energéticas o conjunto de tecnologias e maneiras não-tradicionais de transformar e usar a energia. Essas inovações se caracterizam por possuírem um caráter potencialmente sustentável, ou seja, elas causam baixo impacto ambiental, são economicamente viáveis e tem aceitação cultural.

A Cemig, companhia energética que é responsável pelo oferecimento de energia elétrica de Minas Gerais, está investindo em projetos que englobam a utilização de fontes de energia renováveis.
Energia renovável é aquela originária de fontes naturais que possuem a capacidade de regeneração (renovação), ou seja, não se esgotam. E, no caso da Ceming, há um foco na energia solar, geração eólica biomassa. Além disso, a empresa também se preocupa com a implantação de projetos que visam o uso racional de energia, cogeração e geração distribuída, utilizando diferentes combustíveis, como hidrogênio, gás natural, álcool e biodiesel.

Novas tecnologias promissoras, incluindo células voltaicas mais eficientes, que conseguem coletar energia através do espectro da luz, poderão aumentar significativamente a geração de energia solar nas duas próximas décadas. Mas, alguns obstáculos importantes permanecem. Hoje em dia, apesar do recente progresso, a energia solar dá conta de aproximadamente um por cento das fontes mundiais de energia. Ainda assim, a Agência Internacional de Energia (International Energy Agency – IEA) afirma que a energia solar, em sua maior parte gerada por sistemas fotovoltaicos descentralizados, poderia tranquilamente se tornar a maior fonte de eletricidade do mundo em meados deste século. Então como chegaremos a isso?

A resposta, segundo cientistas e engenheiros, reside em uma nova geração de captadores de luz solar supereficientes, de baixo custo, que assumem o lugar deixado pela recente inundação de painéis de silicone barato. Nos últimos tempos, novos designs e materiais solares inovadores têm estabelecido aparentemente novos recordes semanais de eficiência. Apesar de a pesquisa e o desenvolvimento da energia solar ainda estarem muito além do lugar em que cientistas e engenheiros afirmam que deveriam estar, os pioneiros estão fazendo progressos constantes na criação de uma nova geração de materiais que podem coletar a energia solar de modo muito mais eficiente do que o das tradicionais células fotovoltaicas de silicone.
A grande novidade, porém, é a fabricação de uma nova geração de telhas solares da Tesla, conhecida empresa automotiva especializada em carros elétricos.

A proposta dessas novas telhas é modernizá-las ao ponto de não ser possível discernir se existem ou não telhas solares na casa. Apesar de aparência de telhas de barro ou pedra, na verdade, as fotovoltaicas da Tesla são produzidas em vidro temperado e texturizado.
Com isso, segundo a empresa, a resistência do telhado fica mantida, mas o material translúcido permite que a luz atravesse por ele com uma perda de apenas 2% ­– ou seja, há 98% de eficiência na produção da eletricidade.

1. “Semear ideias ecológicas e plantar sustentabilidade é ter a garantia de colhermos um futuro fértil e consciente”.

Sivaldo Filho

Universidade Federal do Oeste do Pará

Telhado Tesla Energy

Segundo a Tesla Energy, Empresa norte-americana produtora de carros e tecnologías voltadas a elétrica,as telhas solares são ultra-resistentes ao choque e contra granizo, vento, e incêndios e, por essa razão, têm “garantia infinita”.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *