Energia Eólica

Energia Eólica

A Energia Eólica é o processo pelo qual o vento é transformado em energia cinética e a partir dela em eletricidade com o uso de equipamentos específicos. O vento é usado como gerador de energia desde a antiguidade em sistemas como o bombeamento de água, a moagem de grãos e a movimentação de barcos.

A ONU (Organização das Nações Unidas) classifica a energia eólica como MDL (Mecanismo de Desenvolvimento Limpo) e a colocou como prioridade para investimentos no incentivo à chamada economia verde.

A energia eólica é gerada com a movimentação de grandes turbinas conhecidas por aerogeradores, em formato de cata-vento ou de moinhos. As turbinas são instaladas em regiões onde há os ventos chamados predominantes. Seu funcionamento é basicamente feito pela transformação da energia cinética, em energia mecânica ou energia elétrica.

O exploração comercial da energia eólica no Brasil começou em 1992, quando foi instalado o primeiro aerogerador em Fenando de Noronha (PE). A matriz atual conta com 298 usinas eólicas instaladas e coloca o País como líder do setor no mercado sul-americano. A produção diária média é de 2,9 megawatts médios, o suficiente para abastecer 13 milhões de pessoas. A energia eólica representa 3,5% da matriz energética brasileira. A meta do Ministério das Minas e Energia é chegar a 11% até 2023. Hoje, o Rio Grande do Sul lidera a produção de energia eólica no País, seguido pelo Ceará, Rio Grande do Sul e Bahia.

Vantagens

  • É uma fonte de energia inesgotável
  • Não emite gases
  • Não gera resíduos
  • Os geradores podem ser instalados em áreas sem a necessidade de deslocamento da comunidade, sendo compatível a permanência de atividades como agricultura e pecuária
  • Aumenta a autonomia energética do país
  • Reduz a dependência de combustíveis fósseis
  • É uma fonte barata de energia se for considerado o investimento a longo prazo
  • A instalação ocorre em menos de 6 meses
  • A recuperação do investimento com fabricação, instalação e manutenção do aerogerador ocorre me menos de seis meses após o início da atividade